14.10.09

[drops] Alguns dos próximos eventos sobre comunicação digital

As próximas semanas estão repletas de eventos relacionados à área de comunicação. Todos eles, sem dúvida, terão seu foco nos meios digitais, especialmente as redes sociais.

- Seminário "O Efeito Obama" - 15 e 16/10 - evento sobre Estratégia de Comunicação e Marketing da The George Washington University e patrocinado pelo Grupo Santander Brasil. Estarão presentes no evento, para falar sobre a campanha de Barack Obama, os estrategistas Ben Self, sócio-fundador do escritório de tecnologia Blue State Digital e Jason Ralston, sócio da Ralston Lapp Media. Veja mais em http://www.oefeitoobama.com tag: #efeitoobama

- New Brand Communication 2009 - 20 e 21/10 - dentre os palestrantes, estão pesquisadores e profissionais de agências de destaque internacional como Joshua Green (MIT - Massachusetts Institute of Technology), Matt Smith (The Viral Factory – Londres) e Benjamin Palmer (Barbarian Group – Nova York). Em paralelo às palestras, acontecem os Campfires, painéis de discussão com temas como RP 2.0, Transmídia e Storytelling, etc. Veja mais em http://nbc09.com.br tag: #nbc09

- iMasters InterCon 2009 - 07/11 - diversas palestras acontecem paralelamente em 3 "ambientes" com focos próprios: Business, Tecnologia e por fim, Criação e Inovação. Clique aqui para ver a programação completa. Fora do auditório acontecem ainda as desconferências, que este ano foram denominadas Cyber.Punks e seguem sob coordenação de Gil Giardelli. Veja mais em http://www.intercon2009.com

Se eu conseguir, pretendo comparecer em todos os eventos para observar quais são as tendências do mercado da comunicação. No InterCon 2009, além de ouvir, também serei um dos convidados para expor um painel de 20 minutos na desconferência Cyber.Punks. Fica aqui o meu convite para essa desconferência!

Marcadores: ,

28.7.09

Mashup: versão comentada do livro Onipresente

"Onipresente" é o novo livro de Ricardo Cavallini, mas isso você já sabe; inclusive já comentei num outro post.

Este post é para avisar que agora está disponível uma nova versão com a minha participação.

O autor convidou algumas pessoas para participar de um projeto de mashup: era permitido interferir, modificar e redistribuir o conteúdo do livro. Nada mais coerente, para um livro que discute os novos rumos da comunicação e apresenta as mudanças sofridas pela publicidade.

Tiago Dória participou do mashup. Fez um prefácio e a versão alterada está lá para download. Ao invés de incluir mais textos ou imagens, resolvi oferecer minhas próprias anotações.

Antigamente os livros eram mais caros do que atualmente. Por conta disso, era comum utilizar livros emprestados. Na universidade era comum pedir emprestado o livro do professor, pois além do texto, haveriam os grifos e anotações daquele professor.

Para fazer referência a essa época - e quem sabe inaugurar uma "edição vintage" - fiz a proposta de lançar uma "versão comentada"; em que foram aplicadas nas páginas do livro, meus grifos e anotações feitas durante a leitura.

A quem possa interessar, está lá no site, disponível para download gratuito. É só baixar e conferir (http://www.onipresentelivro.com.br/ericmessa).

Marcadores: , ,

16.7.09

A publicidade que valoriza o conteúdo

No livro Onipresente (2009) - faça download aqui - Ricardo Cavallini lembra um detalhe muito importante a ser considerado por aquele que pretende conhecer os meios de comunicação: antigamente era comum ouvir alguém dizer que iria "ver o que estava passando na TV", ou então "ouvir um pouco de rádio". Ou seja, escolhia-se o meio e não sua programação/conteúdo. É claro, a programação era critério de escolha, porém diferente de como fazemos atualmente.

Hoje já aprendemos a agir diferente, como o próprio Cavallini exemplifica, hoje escolhemos o conteúdo ao invés do meio. É comum ver alguém dizer que vai assistir Heroes (o seriado), ou seja, estamos em busca do conteúdo, independe qual será o meio.

Isso acontece por consequência da proliferação e convergência dos meios. É possível encontrar um mesmo conteúdo em diferentes meios. Assim, podemos ver Heroes na TV, mas também há o gibi, o game, o blog dos personagens, etc.

Porém não se trata exatamente do mesmo conteúdo, mas de conteúdos complementares para a mesma narrativa. É isso que Henry Jenkins chamou de transmídia em seu livro Cultura da Convergência (1).

A publicidade, já atenta para essa tendência, começa a desenhar campanhas em que o conteúdo é valorizado a tal ponto de atuar como complemento da narrativa proposta pelo anunciante. Explico: a publicidade já não divulga simplesmente. Ela cria ramificações, conteúdos complementares.


Essa semana entrou no ar uma ação de comunicação que exemplifica bem essa teoria.

O objeto de divulgação é uma exposição que a artista Sophie Calle montou em que o tema central é uma carta que receberá comunicando o término do seu relacionamento. A artista mostrou a carta para outros 107 artistas que foram convidados a interpretar a tal carta e todas essas obras reunidas formaram a exposição.

Para divulgar essa exposição, a agência Santa Clara/Nitro não criou apenas uma ação de comunicação, mas todo um produto complementar à exposição de Sophie Calle, e é aqui que aparece a transmídia. Foi criado um blog em que o visitante pode ler a carta e mandar a sua interpretação.

As melhores interpretações serão selecionadas para a próxima edição da exposição que acontecerá no Museu de Arte Moderna da Bahia.

Quer conhecer o projeto? Visite http://blog.sophiecalle.com.br.

Foto que faz parte da obra criada por Flavia Valsani como contribuição para o blog.


(1) JENKIS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo. Editora Aleph, 2008

Marcadores: , , , ,

26.1.09

#cparty: tecnologias de relacionamento


Entre as décadas de 80 e 90 um discurso muito comum falava sobre o estímulo ao individualismo promovido pela tecnologia computacional e o vídeo-game.

Atualmente já não utilizamos a expressão "tecnologia computacional". Até o termo vídeo-game é pouco utilizado pelos jovens gamers. Não é necessário ser nenhum teórico para saber que hoje a discussão foi ampliada. A noção mais difundida agora é a de que a sociedade por si só tem tendência ao individualismo e portanto, a tecnologia é mero reflexo.

Por outro lado, há ainda o instinto pela interação social. Somos animais sociais. E mais uma vez, a tecnologia reflete esse instinto. Se a tecnologia computacional da década de 80 isolava o homem, agora a era das redes sociais o coloca em um estado de super-exposição.

É preciso muita responsabilidade para lidar nesse ambiente. A semana da Campus Party 2009 foi um ótimo exemplo. Tudo o que era publicado (posts, fotos, vídeos, etc) sob a tag #cparty, foi divulgado no canal de LiveStream criado para o evento.

As opiniões dos espectadores sobre cada uma das palestras eram publicadas no Twitter e projetadas no painel logo atrás dos próprios palestrantes, tudo em tempo real! Centenas de fotos foram publicadas em portais como o Flickr. Eu provavelmente apareço em várias fotos que foram publicadas sem eu mesmo ter conhecimento!

Por outro lado, nunca participei de um evento em que a interação social fosse tão grande. Já participei de vários congressos. Em todos eu costumava rodar pelo evento sozinho, conhecia apenas alguns expositores, nada além disso.

Já na Campus Party, quem participou tenho certeza que teve uma experiência diferente. Impossível ficar só. O hype das redes sociais, o Twitter, era a ferramenta oficial de comunicação. Uma das frases que aparecia com frequência era: - Em qual bancada você está sentado?

Num dos dias fiz até uma pequena experiência; lancei no Twitter: "vou almoçar, alguém afim de comer também?". Em seguida recebi a resposta do Thiago Mobilon (@mobilon) que estava sentado logo atrás de mim. Porém se eu não tivesse comentado nada no Twitter, provavelmente teria almoçado sozinho. E enquanto estávamos lá, mais e mais pessoas apareceram para compartilhar a mesa do almoço.

E sem dúvida não fui o único. Imagino que muitas outras pessoas que participaram da Campus Party de 2009 tenham histórias semelhantes.

Marcadores: , ,

Post Impresso: quem quer comprar essa idéia?

Você já deve conhecer o Y! Posts, canal do portal Yahoo que agrega o conteúdo dos melhores blogs brasileiros.

A ideia é muito boa. Um único endereço em que é possível encontrar uma seleção dos melhores posts do dia. Afinal, nem todo mundo sabe garimpar bem a internet para encontrar os melhores blogs e passar a acompanhá-los.

E lá fora já estão a um passo adiante. O Meio & Mensagem informou que nesta semana deve sair em Chicago e San Francisco (EUA) a primeira edição do "Printed Blog", jornal impresso que assim como o Y! Posts, promete trazer semanalmente uma versão impressa dos melhores posts da semana.

Quem quiser pode clicar aqui e cadastrar-se no portal do Printed Blogs para acompanhá-lo. Já eu queria mesmo era ver alguém lançar logo mais uma versão brasileira. Quem sabe o próprio Y! Posts não lança a sua versão impressa?

Marcadores: ,

19.1.09

#cparty: Correio elegante 2.0


Na véspera da inauguração da Campus Party 2009 o Gustavo Gitti publicou um post em seu blog que promete ser um dos hits do evento: o Projeto LoveCode001.



Versão 2.0 do tradicional correio elegante, lá no post ele explica a mecânica para transformar a área de comentários em um muro de recados apaixonados (clique aqui para conferir).

Para um evento que acontece durante uma semana inteira e grande parte dos participantes chega a acampar no próprio pavilhão, sem dúvida o LoveCode001 será uma ferramenta de entretenimento e promoção de encontros.

Para aqueles que imaginavam que um evento como esse só atraísse o público masculino, hoje a Campus Party divulgou que 32% dos inscritos são do sexo feminino.

Se você está no evento, sem dúvida pode confirmar essa informação e dizer o LoveCode001 será, ou não, útil para os campuseiros...

Marcadores: ,

13.1.09

[updated] Campus Party 2009: painel sobre uso dos blogs em sala de aula


Esse post é o meu convite a você para o painel no qual participarei nesta edição da Campus Party 2009.

Minha relação com os blogs começou em 2001 quando por curiosidade resolvi conhecer o formato. Em 2003 passei a dar uma disciplina sobre o uso dos blogs na educação dentro de um curso de pós-graduação exclusivo para professores.

Logo depois montei um workshop com tema semelhante para outro grupo de docentes. Dessa vez era um curso à distância realizado pela Escola do Futuro (USP).

E mais recentemente, no último ano que passou (2008) comecei a utilizar o blog como ferramente de ensino junto com meus alunos da graduação em Publicidade e Propaganda.

Também em 2008 realizei a I (des)conferência de Mídias Digitais.

É a partir destas experiências que pretendo participar do debate na Campus Party.

O painel está programado para o dia 21/01 (quarta), às 16h35 na Arena de Blogs. Na mesa estarão comigo Bárbara Dieu (Beespace), Luiz Biajoni (Instituto Macuco) e Claudir Segura (PUC-SP) O moderador será o Bob Wollheim (Sixpix Content).

Não pretendo levar nenhuma apresentação. A idéia é estimular o debate e a participação da platéia. Vou basear-me apenas em minhas experiências particulares e partir para o bate-papo!

Gostaria muito de vê-los por lá. Para quem precisa de mais informações sobre a Campus Party, confira aqui. É preciso inscrever-se para ter acesso livre a qualquer um dos eventos programados.

Durante toda a semana acontecerão muitas palestras, debates e oficinas. Tim Berners-Lee, criador da web, fará sua palestra na terça (20/01) às 13h.


[UPDATED 22/01/09] Ontem aconteceu o painel e foi ótimo participar do debate. Como acontece em todo painel, as questões lançadas sempre superam o tempo disponível. Espero que apareçam mais oportunidades.

Abaixo a gravação em vídeo do painel. Agradecimento especial ao Matheus Siqueira do blog Éoqhá que colaborativamente realizou o stream em vídeo dos painéis da CampusBlog.

Live video chat by Ustream

Marcadores: , ,

9.1.09

Pré-estréia: O dia em que a Terra parou

Acabei de retornar da pré-estréia de "O dia em que a Terra parou", refilmagem do original de 1951.

A Fox Film organizou uma grande pré-estréia, ocupando várias salas do Kinoplex no bairro do Itaim em São Paulo. A LG também aproveitou para promover sua marca e distribuiu alguns convites numa promoção realizada no Twitter (mais detalhes no post seguinte). Foi assim que fui parar lá. Por conta disso encontrei algumas caras conhecidas da blogosfera. Também encontrei muitos alunos e ex-alunos que ganharam o convite das agências de publicidade em que trabalham. Esses encontros sempre me deixam muito contente pois tenho a oportunidade de ver que estão todos muito bem inseridos no mercado publicitário.

Em relação ao filme, vale alertar que trata-se de um típico filme hollywoodiano de ficção científica. Fãs do clássico de 1951 podem se decepcionar pela evidente interferência dos elementos que caracterizam um filme hollywoodiano, como por exemplo, a simples participação de um ator em evidência, nesse caso, Keanu Reeves, como o alienígena Klaatu.

Interessante observar como a mudança de paradigma da década de 50 para os dias de hoje interferem na construção do filme. Em 1951 o alienígena era protegido por um robô que tinha uma aparência completamente mecânica e metalizada. Esses eram os ícones da época para algo considerado "evoluído". Hoje o mesmo robô mantém sua aparência visual, mas sem os traços mecânicos. Possui uma forma muito mais "orgânica" do que "mecânica". Um personagem do filme chega a comentar que o robô seria composto de um material desconhecido, similar a um silicone, porém com uma resistência superior a qualquer elemento da Terra.

Outra questão que vale comentar aqui é a presença de marcas e produtos no filme. No original de 1951 não havia ainda a noção de publicidade inserida no entretenimento da forma como temos hoje. Aliás, também já ultrapassamos a fase do personagem que segura a garrafa do refrigerante com o rótulo direcionado para a câmera. Ou seja, a ênfase exagerada da propaganda interrompendo a narrativa. Hoje o produto ou a marca procura aparecer dentro do contexto do filme, sem ressaltar demais, para não interromper o envolvimento e incomodar o espectador.

Porém qualquer interessado no assunto nota a presença de muitas marcas, que sem dúvida foram fundamentais para levantar fundos para a produção do filme. Com isso fica aqui mais uma característica de um filme hollywoodiano, que eventualmente aponta o possível futuro inevitável para o cinema, afinal, é evidente que o cinema não vive mais simplesmente da sua bilheteria.

Logo no início do filme aparece um notebook da LG. No meio do filme aparece outro produto da marca, um celular. Ninguém comenta ou evidência em exagero os produtos. Eles são elementos do cenário e procuram apenas participar da cena. A mesa surface da Microsoft bem com o sistema operacional Vista também participam do filme. Além disso aparecem ainda produtos das marcas Honda, Mc Donald´s, Pioneer e provavelmente mais alguma outra que eu tenha esquecido.

Assim, não se esqueça, não espere um filme cult. É um caso semelhante à versão que fora feita em 2006 com o ator Tom Cruise para o também clássico "Guerra dos Mundos".

Ademais não pretendo fazer comentários sobre sua qualidade, construção da narrativa ou a produção, já que esse não é um blog sobre cinema. Deixo isso para os amigos dos blogs vizinhos.

Marcadores:

11.11.08

Flashmob na Av. Paulista contra o projeto do Senador Azeredo [updated]


Hoje começaram a espalhar pelas redes a "convocação" para um flashmob na próxima sexta, dia 14/11/08 às 18h, na calçada central da Av. Paulista, 900.

O flashmob é um movimento espontâneo e instantâneo, divulgado geralmente pelas redes virtuais. Aqui no blog já comentei os flashmobs do Fashion Week e do Portal Limão.

Desta vez a proposta é gerar um movimento contra o projeto de lei proposto por Eduardo Azeredo. Apesar da boa intenção, por falta de foco na construção dos argumentos, o projeto acaba com a liberdade da rede, característica intrínseca deste meio. Veja aqui um post sobre a campanha contra esse projeto.

O convite para o flashmob desta sexta pede para que exatamente às 18h as pessoas permaneçam por 30 segundos na calçada central da Av. paulista, 900, segurando uma folha com a mensagem “Não ao PL Azeredo”.


[updated 15/10/08] Acima aparece uma das imagens registradas pela Lucia Freitas durante o flashmob, clique aqui para ver todas as fotos. Há também outras fotos espalhadas pelo Flickr e alguns videos no Youtube.



Marcadores: ,

30.9.08

A TV influenciada pela internet

A Teoria da Comunicação é o campo que estuda os meios e suas especificidades. Um de seus autores, Marshall Mcluhan, costumava dizer que o conteúdo de um novo meio são seus meios anteriores; ou seja, quando a televisão nasceu seu conteúdo era uma mistura resultante de referências oriundas do rádio, do cinema e do teatro.

Costumo fazer uma interpretação particular dizendo que o surgimento de um novo meio acaba também por influenciar o conteúdo do meio anterior. Por exemplo, o desenvolvimento de uma linguagem própria da internet, baseada na interatividade, está aos poucos, influenciando o conteúdo também da televisão.

Em resumo, o meio anterior (televisão) está buscando atender as necessidades de um telespectador influenciado também pela internet, espaço em que a interatividade faz dele um ser ativo no processo de envolvimento com a mídia. Vide os diversos programas de TV em que o telespectador é estimulado a participar através do telefone.

Claro, a integração televisão + telefone não foi uma descoberta pós-internet. Mas convenhamos que programas de televisão interativos tornaram-se cada vez mais comuns após o surgimento da internet.

Essa semana soube de duas diferentes notícias que tocam nesse mesmo tema. A primeira é que a edição deste ano do Video Music Brasil que acontecerá nesta quinta-feria terá uma dose de interatividade nunca antes experimentada pela MTV Brasil. Durante a transmissão ao vivo do evento, o telespectador (através da internet) e os convidados presentes (através de aparelhos eletrônicos) irão escolher os temas das esquetes que Marcelo Adnet fará ao finald e cada bloco. Tudo ao vivo.

Além disso todo o evento será transmitido também pela internet no site da MTV. É esse inclusive o tema da segunda notícia: a Warner Channel começou a exibir uma série exclusiva para a internet. "Sorority Forever" é uma série que não rodará na TV, apenas no site da Warner Channel. Nesse caso não se trata da televisão adaptando sua linguagem, mas de uma verdadeira busca pela sobrevivência do veículo.

E quem disse que a televisão vai morrer?


Marcadores: ,

7.9.08

Redes sociais e biologia celular

Não vou desenvolver demais o assunto para não tornar o post teórico demais. Mas para aqueles que estudam as redes sociais é interessante observar como algumas das regras e teorias sobre redes se aplicam a diferentes campos, inclusive a biologia.

Hoje uma matéria da Folha de S. Paulo (se for assinante, veja aqui) falava sobre uma pesquisa realizada com um animal milimétrico chamado hidra que vive em água doce. Esse pequeno animal tem a capacidade de recuperara-se de mutilações. Na verdade, se você triturar o animal e separar todas as suas células, aquelas que sobreviveram começam a se agrupar e em até três dias surge uma nova hidra.

O agrupamento das células acontece num movimento similar à qualquer outra rede: os pontos, nesse caso, as células se movimentam na mesma direção que as células (ou pontos) ao seu redor. Ou seja, é aquele fluxo comum que vemos nas multidões.

Quem já fez comparações semelhantes foi Steven Johnson em seu livro "Emergência: a dinâmica de rede em formigas, cérebros, cidades e softwares". Aqui está o link para comprar o livro caso interesse.

Aliás, caso queira "seguir" o Steven Johnson no Twiiter, clique aqui.


Marcadores: ,

(des)conferência na 31ª Semana da Comunicação da FAAP


Em primeira mão: foi publicada a programação de palestras da 31ª Semana da Comunicação da FAAP. Será uma semana inteira de apresentações durante o período da manhã e noite. Outros eventos e oficinas acontecem durante as tardes. A 31ª Semana da Comunicação da FAAP acontece entre os dias 15 e 19 de setembro.

Dentre os eventos e profissionais que estarão presentes, temos: Ken Fujioka - JWT Brasil, Alexandre Scaff - Leo Burnett, Ornella Muti - Atriz, Luiz Lara - Lew’Lara\TBWA, Marcelo Tas e turma do CQC, Fabiano Coura - Neogama/BBH, Abel Reis - AgênciaClick, Otavio Frias Filho - Folha de S. Paulo, Marcelo Epstejn - UOL, Ciclo de Cinema Italiano e realização, ao vivo, do Programa “Sala dos Professores” da Rádio Eldorado. Para conferir a programação completa, acesse http://facom.faap.br/31semana

1ª (des)conferência de Mídias Digitais
Pela primeira vez, acontece na Faculdade de Comunicação e Marketing da FAAP uma (des)conferência de Mídias Digitais em que se pretende promover um debate horizontal, sem palestrante definido. Nesta edição foram convidados alguns importantes nomes da rede social brasileira para trocar idéias com os alunos.

O evento acontece na sexta, dia 19/09, das 14h30 até as 17h30. Alunos da FAAP devem fazer inscrição para participar. Dentre os convidados especiais, estão:

- Jeff Paiva - AgênciaClick
blog http://www.jeffpaiva.com/blog
- Thiane Loureiro - Edelman
blog www.expressaodeideias.com.br
- Alexandre Fugita - Polvora! Comunicação
blog http://techbits.com.br/
- Guilherme Valadares - CUBOCC
blog http://www.papodehomem.com.br
- Wagner Tamanaha - Espalhe
blog http://br.tecnologia.yahoo.com/blogs/tamanaha
- Wagner Fontoura - Riot e Coworkers Mídias Sociais
http://www.coworkers.com.br/
- Luciana Soldi - Realmedia Latin America
blog http://movimentonatura.wordpress.com
- Bruna Calheiros - Bullet
blog: http://www.smellycat.com.br
- Lucia Freitas - Conectiva
blog: http://www.ladybugbrazil.com
- Marina Santa Helena - Dudinka
blog: http://chiqueirochique.com
- Ian Black - LiveAD
blog: http://www.interney.net/blogs/enloucrescendo
- Rafael Ziggy - Talk Interactive
blog: http://simviral.com


Todos os eventos que acontecem na 31ª Semana da Comunicação são reservados somente aos alunos e convidados. Durante o decorrer do evento publicarei flashes no Twitter usando a tag #31semana. Se preferir, você pode seguir meu profile no Twitter.

Você tem blog? Quer participar da (des)conferência?
Se você ficou interessado em participar da (des)conferência de Mídias Digitais, escreva um post em seu blog falando do evento e deixe aqui um comentário com seu e-mail e link para o seu post. Aqueles que colaborarem na divulgação do evento incluirei na lista de convidados. OBS: mas as vagas são limitadas!


Quem colaborou:
- (des)Conferência na FAAP
- 1ª (des)conferência de Mídias Digitais
- 31ª Semana da Comunicação da FAAP promove (des)Conferência
- Semana de Comunicação na FAAP tem desconferência
- Semana da Comunicação FAAP
- 1ª (des)conferência de Mídias Digitais
- 31ª Semana da Comunicação


Marcadores: , , , , ,

5.8.08

Mobile marketing da TIM para o Dia dos Pais

Essa dica foi enviada pela minha aluna Thais Klein Gunnewiek: a TIM colocou um hotsite novo no ar com uma ação de mobile marketing para o Dia dos Pais.


O enredo é simples: um vídeo mostra uma menininha pedindo o número do seu telefone. Após indicar o número você recebe uma ligação com a gravação da chamada da menina sobre a promoção do dia dos pais e o vídeo simula ela falando ao celular (como se estivesse conversando em tempo real com você. Ao final o vídeo é substituído por um packshot dos celulares.


A ação é muito semelhante à recente ação de mobile marketing comentada aqui no blog para a L´oreal.

Infelizmente parece que falta criatividade na criação de enredos para ações de mobile marketing. Esse fato pode acabar causando a morte prematura do formato. Apesar de atraente e interativo, o formato pode rapidamente se tornar entediante e repetitivo.

Além disso, faltou um pouco mais de cuidado na produção desta ação em particular. O tom excessivamente comercial da fala da menina durante a gravação telefônica atrapalha o envolvimento com a narrativa.

Assim como no post anterior sobre a Claro, deixo aqui o crédito para a Tim pela iniciativa em buscar ações diferenciadas e fogem da comunicação de massa tradicional. Porém, como qualquer um que arrisca inovar, às vezes é necessário errar para acertar o foco e descobrir como atuar com essa nova linguagem.

De qualquer maneira, caso ainda esteja curioso para conhecer, confira o hotsite em www.timdiadospais.com.br.

Marcadores: ,

O paradigma do blog corporativo

Há 10 anos atrás todos já sabiam que o relacionamento entre consumidor e marca deveria mudar. Todos já sabiam que as empresas deveriam adotar um novo modelo de comunicação com seu consumidor. Sabíamos que deveria ser algo menos formal, mais próximo, mais interativo. Sabíamos que o caminho era a internet, porém, não havia ainda um formato bem definido para esse modelo de comunicação. O Manifesto Cluetrain mostrou um pouco desse cenário: em 1999 eles sabiam o que queriam, estava claro no manifesto, mas o que não estava evidente era "como" fazer.

Hoje já podemos dizer que o formato que melhor traduziu e foi adotado pelo mercado, por enquanto, é o blog corporativo. O formato do blog exige grandes mudanças de paradigmas para a empresa: a linguagem deve ser coloquial; quem escreve deve ter um cargo de responsabilidade na empresa e por fim, deve ser um espaço aberto para comentários dos consumidores.

Não são questões simples de resolver. Os diretores e responsáveis pela empresa nem sempre possuem tempo ou mesmo preparo para falar com os consumidores. Mais ainda, nem toda empresa está preparada para para receber publicamente a opinião dos seus consumidores, principalmente aquelas que lideram o ranking de reclamações do PROCON.

Por essas razões que Thiane Loureiro, Gerente corporativa da Edelman Brasil, costuma dizer que vivemos atualmente uma época de revalorização do profissional de relações públicas. É essencial a participação de uma boa equipe de RP no dia-a-dia de um blog corporativo, porém, que fique claro, não para "esconder" do blog comentários negativos, mas para respondê-los de forma adequada.

A empresa Claro resolveu enfrentar todos esses paradigmas. Agora em julho ela colocou no ar seu blog corporativo que pode ser acessado pelo endereço www.claroblog.com.br. Aparentemente o projeto é desafiador e corajoso: há ali uma área própria para posts do João Cox, presidente da Claro; os textos possuem uma linguagem menos formal que o site institucional e - quase - todas as áreas do blog estão abertas para comentários dos visitantes.

É, portanto, uma iniciativa que merece elogios, porém, é preciso também verificar como o projeto será administrado no dia-a-dia. Como disse, é um projeto corajoso pois afinal a área de telefonia celular é uma das que lideram o ranking de reclamações no Procon e curiosamente, durante meu passeio pelo blog a grande maioria dos comentários não continham nenhuma espécie de reclamação; de fato, a maioria elogiava o serviço ?!?!?

Não sou consumidor do serviço, mas mesmo assim achei estranho pois afinal, durante a pesquisa para escrever esse post descobri que consumidores insatisfeitos chegam a publicar seus casos num blog chamado "Claro? Que não funciona!" criado por uma usuária do serviço da Claro de Recife. Será que estes mesmos consumidores não arriscaram comentar seus casos também no blog corportaivo da Claro?

Marcadores: , ,

31.7.08

Yahoo Posts entra no ar nos próximos dias [updated]

A partir das informações fornecidas pelo blog Cybervida e pelo informativo e-Bites neste final de semana deve entrar no ar o projeto Yahoo Posts.

Em resumo: o Yahoo terá uma nova área que trará para seus leitores um resumo dos melhores posts publicados em cerca de 100 blogs pré-selecionados. Para ver o conteúdo completo o leitor será redirecionado para o blog que originou o post, garantindo assim a referência e reconhecimento do autor do blog. O projeto, bem como a pré-seleção dos blogs foi realizada pela agência Live AD, principalmente pelo Gerente de Relacionamento Digital, Ian Black (e autor do blog Enloucrescendo).

A seleção dos melhores posts será realizada por 4 consultores, também blogueiros: Alexandre Inagaki, Edney Souza, Gilberto Knuttz e Nick Ellis.

É um projeto importante pois evidência a importância e credibilidade dos blogs no campo da comunicação. Fiquem de olho!

[UPDATED 03/08/08] Hoje, domingo, aconteceu um evento reservado para convidados no Pacaembu para o lançamento do Y! Posts. Lá foram apresentados todos os 100 blogs que farão parte da composição inicial do serviço. A nova área deve entrar no ar no meio desta semana.

[UPDATED 05/08/08] Ontem o Ian Black, da Live AD, deixou em seu blog pessoal um longo post explicando todos os mínimos detalhes do projeto, inclusive citando cada um dos blogs selecionados. Aqui está o link.

E amanhã deve entrar no ar a nova área dentro do site do Yahoo. Quem ainda estiver curioso, não esqueça de visitar www.yahoo.com.br. Aliás, aparentemente o link direto para o Y! Posts será http://br.posts.yahoo.com, pois apesar do serviço ainda não estar no ar, esse endereço já existe mas por enquanto direciona para a página de entrada do Yahoo americano.

[UPDATED 06/08/08] Como previsto, nesta quarta, logo no início da tarde apareceu a chamada sobre o Y!Posts na capa do site do Yahoo Brasil. Outro palpite correto foi o endereço (URL) da nova área, porém, além daquele citado acima há também o endereço www.yahooposts.com. Vá e confira!

Marcadores: ,

19.7.08

Internet amplifica a voz do cidadão


A internet e seu sistema de comunicação em rede, e em tempo real, pode otimizar a organização de uma sociedade, pois através desta rede aberta e descentralizada, todo participante tem direito a opinar.

Reflexões semelhantes a essa já faziam parte das idéias de diversos teóricos da comunicação, como Marshall McLuhan e Pierre Lévy. Hoje vemos tais reflexões acontecendo na prática.

Um projeto de lei, proposto pelo Senador Eduardo Azeredo, batizado de Projeto Cibercrimes, tenta solucionar problemas da rede através da instituição da vigilância e limitação do acesso à internet. Particularmente não apoio o projeto da forma como é apresentado atualmente, acredito que devemos garantir o princípio de liberdade e descentralização (ver post sobre o assunto).

Por conta desse projeto, nas últimas semanas pude assistir na prática a reflexão iniciou esse post. Dentro das diversas redes sociais vi argumentos contrários ao projeto. Para mostrar a indignação do cidadão brasileiro sobre esse projeto organizou-se uma petição on-line e agora, o Dia da Blogagem Política (tag #blogagempolitica).

No blog oficial há toda a descrição do projeto de lei e também dos argumentos contrários. No final há um convite para que hoje, 19/07/08, cada blogueiro publicasse um post sobre o assunto.

Deixei para escrever no final do dia. Agora, por volta das 21h já encontrei 1.990 referências para o termo "blogagem politica + azeredo" no Google, no resultado da pesquisa apareceu desde aqueles que anunciavam a data de hoje como os posts do próprio dia.

No Technorati foram registrados 153 posts que indicavam link para o site oficial. E lá no site do Dia da Blogagem Política já haviam 79 comentários, a maioria, de blogueiros indicando o link do seu próprio post. Ou seja, o meu post agora é o 80º! Ah! E a petição on-line já conta com 68.593 assinaturas.

Considerando que alguns blogs tem mais leitores do que revistas nacionais de grande tiragem; fico imaginando: quantos cidadãos brasileiros não foram atingidos por essa campanha?

Marcadores: ,

16.7.08

You B(log): diário virtual é coisa do passado


Escrevo este post no intervalo do You B(log), evento que reuniu alguns blogueiros de diferentes partes do mundo. Cheguei no início da palestra do Guilherme Valadares - http://papodehomem.com.br. Depois dele falaram a Susanna Lau - http://stylebubble.typepad.com, da Inglaterra e o
Glauco Sabino - http://www.descolex.com.

Resumo dessa primeira parte: são todos jovens que não utilizam o blog como um diário virtual, mas como uma ferramenta para dar start na carreira profissional. Susanna Lau por exemplo, foi contratada como editora do Dazed Digital justamente por conta da sua experiência com seu blog Style Bubble. Já Guilherme Valadares contou como nasceu a idéia do blog Papo de Homem a partir do seu trabalho de conclusão da faculdade de publicidade.



[UPDATED] O You B(log) foi de fato um "Encontro Internacional de Blog, Moda e Comportamento". Além dos blogueiros já comentados acima, na segunda parte do evento destaco a palestra realizada por videoconferência (skype) da Jannine Tann - http://thecoveted.blogspot.com, que focou bastante nos blogs que tratam de moda e da interessante reflexão feita por Victor Ângelo - http://dusinfernus.wordpress.com, ao dizer que o blog é o produto mais refinado desenvolvido até então pela cultura do indivíduo e do eu, predominante no ocidente. Um indivíduo que só existe a partir da alteridade, do "outro", ou seja, não há blog se não houver o "outro" para ler e comentar.


Por fim, fica a observação sobre a participação da Brastemp, patrocinadora do evento, que apareceu sem precisar chamar a atenção. Não houve distribuição de folders, comercial durante as palestras ou qualquer interferência excessiva. Estavam ali, no espaço de convivência, as diversas geladeiras expostas para interação do público. No canto um estande mostrava que a linha "You" permite diferentes combinações de cores e acabamentos internos. Sem apelar, a Brastemp reforçou sua marca e ainda apresentou sua linha de produtos. Estão de parabéns Paula Limena e o promissor Leonardo Rama, ambos da Imageneer, idealizadora do projeto.

É provavelmente esse o cenário da publicidade do futuro: marcas participando do cotidiano sem os exageros e interferências que acontecem atualmente.

Abaixo a lista completa dos palestrantes do dia:
- Brasil:
Glauco Sabino: http://www.descolex.com
Guilherme Valadares: http://papodehomem.com.br
Victor Ângelo: http://dusinfernus.wordpress.com
- Panamá:
Melissa De Leon: http://panamagourmet.blogs.com
- Inglaterra:
Susanna Lau: http://stylebubble.typepad.com
Jannine Tann: http://thecoveted.blogspot.com

Marcadores: , , ,

6.7.08

Liberdade ameaçada na internet brasileira [updated]


Vivemos uma época importante de mudanças. Todas as fases de transição entre as eras históricas foram um tanto confusas para aqueles que as vivenciaram, e nós somos testemunhas de mais uma destas fases.

Mudança de paradigma. Essa é a questão que causa tanta confusão. Somos testemunhas do surgimento do que foi chamado de Era Digital. As mudanças que a Era Digital propões eu resumiria numa única palavra: descentralização.

As redes são sistemas descentralizados. E esse modelo influencia não só um sistema de comunicação, mas todo um príncipio de idéia, seja ela econômica, social ou cultural. Sim, a Era Digital deve modificar toda a forma de pensamento de uma sociedade e coloca em questão até mesmo o modelo capitalista.

Por conta disso, alguns são mais resistentes e instalam as polêmicas que caracterizam as tais "fases de transição". Podemos exemplificar esse fato com a já consagrada polêmica do MP3 e dos direitos autorais. Neste caso está claro e evidente a necessidade de mudança do modelo econômico que rege o mercado fonográfico, bem como uma nova lógica para o direito autoral; para que ambos estejam em sintonia com o novo paradigma que se apresenta.

Mas em outras áreas não há nada assim tão claro e evidente ainda. Como já comentei anteriormente, vivemos também algo que chamei de "era da exposição". Nesta época de mudança de paradigma, a fronteira entre o público e o privado é colocada em discussão. E o assunto se complica quando envolve ainda questões relacionada à vigilância. Em resumo: você utilizaria um celular com sistema de rastreamento por GPS que publicasse na internet sua posição em tempo real para com isso garantir sua segurança e evitar, por exemplo, um possível sequestro? Alguns aceitariam tal proposta no ato; outros considerariam uma enorme invasão de privacidade.

Talvez o importante em tempos como o nosso seja garantir a liberdade de escolha do cidadão; e assim a sociedade acabará determinando que caminho irá seguir (mesmo que esse não seja considerado "o melhor caminho" para alguns).

Digo isso pois um erro comum é tentar impor à sociedade um novo modelo ou então tentar impedir o avanço através da manipulação e da imposição de leis.

É o que aparentemente começa a surgir no Brasil. Um novo projeto de lei pretende limitar e vigiar o acesso dos brasileiros à internet. No blog do professor da Cásper Líbero e ativista do software livre, Sérgio Amadeu, há um post que descreve em detalhes o projeto de lei proposto pelo senador Eduardo Azeredo. Segue aqui duas rápidas passagens:


"O Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo quer bloquear o uso de redes P2P, quer liquidar com o avanço das redes de conexão abertas (Wi-Fi) e quer exigir que todos os provedores de acesso à Internet se tornem delatores de seus usuários, colocando cada um como provável criminoso."

"O conhecimento só se dá de forma coletiva e compartilhada. Todo conhecimento se produz coletivamente: estimulado pelos livros que lemos, pelas palestras que assistimos, pelas idéias que nos foram dadas por nossos professores e amigos..."


Clique aqui e veja o post completo no blog do Sérgio Amadeu. Fica aqui meu convite para que você reflita sobre o assunto e faça algo para impedir que esse projeto siga em frente. Encaminhe este post para os amigos e assine a petição on-line organizada pelo João Carlos Caribé que promete encaminhar ao Senado (a petição será encerrada hoje, 07/07/08 às 00h).

[UPDATED 10/07/2008] Infelizmente o projeto de lei foi aprovado e agora segue para Câmara de Deputados. A petição on-line continua aberta, assine!

[UPDATED 11/11/2008] Segue pela internet o convite para um flashmob contra o projeto que deve acontecer nesta sexta (14/11/08). Veja mais neste link.


Mais sobre:
- Sobre a proposta "lei dos crimes digitais"
- Projeto de Lei Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG)
- O Projeto de Lei do Senador Eduardo Azeredo e seus custos para o Brasil
- A lei do senador Azeredo e o que ela faz da Internet
- Precisamos agir sobre o projeto de lei que trata de crimes pela Internet
- O Fim da Liberdade
- Liberdade na Internet Brasileira
- Manifesto em defesa da liberdade na Internet

Marcadores: ,

25.5.08

Viral da semana: Blindness e Saramago


Aproveito o tema para falar de uma variação do marketing viral que começa a surgir aos poucos: com o objetivo de trabalhar melhor as redes sociais, algumas ações de comunicação buscam atrair os "influenciadores" das comunidades, estimulando-os a contribuir espontaneamente com a propagação da informação. Uma nova espécie de "marketing colaborativo".

O marketing viral usa de um fator externo à marca para atrair e estimular a propagação espontânea. Em geral é algum apelo cômico ou dramático. A marca é espalhada por conseqüência.

Neste novo modelo procura-se convencer os influenciadores da rede social de sua qualidade e benefícios de determinada marca/produto para que então espontaneamente a comunicação seja espalhada.

O viral desta semana é um exemplo que traz as duas características: existe o apelo dramático, mas também o estímulo a divulgar algo que aparentemente merece sua colaboração.

Trata-se de um vídeo no Youtube que flagra a reação do autor José Saramago logo após assistir a exibição do filme Blindness (Ensaio sobre a Cegueira) do diretor Fernando Meirelles. A exibição aconteceu na semana passada durante a abertura do Festival de Cannes 2008.

A expectativa pelo sucesso internacional do filme de um diretor de cinema brasileiro e a emoção de Saramago fazem o vídeo propagar rapidamente pela rede. E neste caso, aquele que retransmite a mensagem sabe que ao fazê-lo está também por conseqüência divulgando o filme de Fernando Meirelles. É, portanto, uma propaganda consciente.

Em 4 dias o vídeo já foi visto cerca de 23.000 vezes.



Aproveite e veja o trailer do filme, que por sinal, em dois meses foi visto cerca de 20.400 vezes.



Veja mais:
- Meirelles e Saramago: quando as luzes se acendem
- A reação de Saramago depois de ver Blindness
- Reação de Saramago



Marcadores: , , ,

3.5.08

Como indicar sua posição no Google Maps [updated]

Estranhamente ainda não apareceu um aplicativo para os smartphones equipados com GPS que registre sua posição atual (latitude x longitude) e encaminhe tais dados para algum site de mapas como o Google Maps. Há poucas semanas vi algo parecido mas exclusivo para o N95 da Nokia.

Com ele seria possível indicar com certa periodicidade sua localização, tarefa realizada até então somente por alguns aparelhos de celular integrados com a operadora. Situação alías que gera uma boa discussão sobre os limites da privacidade. Interessados podem ver o artigo "Vivemos em plena era da exposição".

O Twitter pode ser outra ferramenta a oferecer algo semelhante pois já existem dezenas de softwares para smartphone que enviam updates para o Twitter. Algum deles poderia, por exemplo, enviar um update da sua localização para orientar o indicador do seu usuário no site Twitter Map.

Caso conheça algum aplicativo gratuito que realiza essa tarefa, deixe um comentário!

[updated] Lembrei que alguns meses atrás já havia pesquisado e encontrei duas soluções bem próximas do que comentei:

- Where.com - um site que indica estabelecimentos próximos da sua localização, temperatura local, etc. Também há um plug-in que envia ao Twitter sua posição. Porém ainda não está disponíveis para usuários fora do Estados Unidos.

- Mologogo - Neste portal seus usuários podem consultar a posição do seu contato e checar o histórico das últimas localizações registradas. Ele também envia o registro da posição para o Twitter. Há um aplicativo para Windows Mobile que faz a integração com o GPS, mas ocorreu erro em todas as tentativas que fiz para executar esse software.

Em resumo: nenhuma das suas soluções acima funcionou. Aguardo outras sugestões.

Marcadores: , ,

31.3.08

Uma filosofia dos meios digitais

---------------------------------------------------------
Artigo publicado originalmente na coluna "Pensamento Digital"
do portal JumpExec em 31/03/2008
http://jumpexec.uol.com.br/index.php?sub=5&land=ler&idArtigo=2043
---------------------------------------------------------

Vilém Flusser (1920-1991) foi um filósofo theco que viveu por muitos anos no Brasil e aqui desenvolveu seus trabalhos de pesquisa, muitos deles relacionados à imagem, em particular, à linguagem fotográfica.

Em um de seus livros - “A Filosofia da Caixa Preta” (1983) - ele faz uma reflexão sobre a fotografia, mas que serve bem para qualquer aparelho tecnológico de comunicação, bem como para os meios digitais.

Para ele, o avanço tecnológico permitiu o surgimento de equipamentos que desempenham sua função sem a necessidade de um conhecimento científico aprofundado sobre seu funcionamento por parte do seu usuário. Hoje em dia podemos exemplificar essa idéia a partir das máquinas fotográficas digitais: basta clicar e a foto é registrada, inclusive com certa garantia de qualidade. Aquele que faz uso do “aparelho” Flusser vai chamar de “funcionário”, pois apenas opera o equipamento, sem conhecer propriamente seu funcionamento.

A vantagem da automatização dos processos é evidente e largamente aceita pela sociedade, seja uma máquina fotográfica, uma filmadora, um software gráfico ou mesmo um carro, quanto mais prático e automatizado, melhor. O problema existente aqui é que no mundo dos “funcionários” não há espaço para criatividade.

Flusser inclusive diz que a liberdade está justamente no ato de jogar contra o aparelho tecnológico, pois caso contrário, estaremos todos produzindo produtos semelhantes, produtos automatizados, sem nenhuma originalidade ou criatividade. É somente quando você subverte o equipamento que começa a surgir um produto criativo. E para fazê-lo, é necessário conhecer seu funcionamento, ou seja, nas palavras do filósofo, é necessário conhecer a caixa preta, entender seus procedimentos, para então manipulá-los.

Ao dizer que se faz necessária uma filosofia da fotografia, Flusser defende a necessidade de conhecer a linguagem fotográfica para saber operar sobre ela e não ser operado por ela. É neste ponto ao qual faço a relação com os meios digitais.

Vivemos um momento único que é justamente o processo de formação de uma nova linguagem; a linguagem dos meios digitais. Neste contexto, só é criativo e capaz de operar sobre essa linguagem aquele que domina seus procedimentos. É hora de acordar e correr atrás, pois em breve todos que atuam na área da comunicação terão que lidar indubitavelmente com a cultura do digital.

Aqueles que desenvolvem campanhas inovadoras de marketing digital, seja um viral ou qualquer outro modelo, o fazem pois não são simples funcionários, muito pelo contrário, são pessoas que dominam a linguagem como nenhum outro, estão imersos nesse ambiente e por isso conseguem ver soluções criativas que ninguém ainda imaginou. Os outros, os funcionários, sabem apenas ler seus e-mails, pesquisar no Google e trocar scraps no Orkut.


---------------------------------------------------------
Artigo publicado originalmente na coluna "Pensamento Digital"
do portal JumpExec em 31/03/2008
http://jumpexec.uol.com.br/index.php?sub=5&land=ler&idArtigo=2043
---------------------------------------------------------

Marcadores: , ,

24.2.08

Coincidências fotográficas

Aqui vai apenas o registro de uma coincidência daquelas que me fazem acreditar em (in)consciente coletivo.

Em Outubro de 2007 iniciei uma nova série/experiência fotográfica chamada "Light Paintings". São fotos em que brinco com o tempo de exposição e lanternas coloridas.

Desde então sempre que possível experimento algo novo dentro desta série. Algumas das fotos estão publicadas no Flickr.

Não se trata de uma técnica nova ou original. Há muitos trabalhos do gênero, mas achei uma agradável coincidência ver a mesma técnica aplicada no jornal Folha de S. Paulo.

Saindo do fotojornalismo tradicional, no sábado e domingo reparei que uma das imagens da coluna "Mercado Aberto" fazia uso da técnica da lanterna para ilustrar o personagem citado na matéria.

Fui verificar e as fotos são da fotógrafa Karime Xavier. No seu fotoblog notei que ela já tinha feitos outras imagens deste gênero para a coluna "Mercado Aberto".

Os demais trabalhos de Karime também são ótimos. Vale a pena a visita ao seu site e fotoblog.

Marcadores:

30.1.08

Convite para quem prefere #CPARTY ao invés de #BBB8 [UPDATED]

Aqui vai uma oportunidade para quem estiver interessado em passar uma semana acampado na Bienal de São Paulo (11-17/fev), com um link de 5Gb à disposição para cerca de 3000 participantes e ter a chance de participar de diversos workshops e assistir palestras de personalidades como Steven Johnson, ao invés de ficar em casa assistindo Big Brother Brasil 8.

A história é a seguinte: hoje recebi um e-mail informando que eu fui um dos ganhadores de uma promoção que oferecia dois convites gratuitos para participar do Campus Party Brasil. Espero que não seja um e-mail falso, pois dificilmente ganho concursos e promoções...

(no blog da amiga Lucia Freitas, uma das organizadoras da área sobre Blogs no Campus Party, ela comenta que muitos receberam o tal e-mail oferecendo os convites, espero que sejam verdadeiros!)

De qualquer maneira, caso seja verídico, o fato é que ganhei dois convites. Tenho direito a levar um acompanhante. Mas como ainda faço parte da fatia de solteiros da população, resolvi doar o convite extra para um leitor do e-Code.

Quero aproveitar esse momento para prestigiar também os leitores que estão distantes mas mesmo assim pretendem participar do Campus Party Brasil.

Assim sendo, para selecionar o leitor que vai ao Campus Party, resolvi criar uma mecânica muito simples, em que basta cumprir os seguintes passos:

1 - Assine o RSS do blog e prometa tornar-se leitor fiel!

2 - Deixe um comentário neste post indicando seu nome, e-mail e local onde mora, indicando bairro, cidade e estado (não vale mentir!).

O leitor que morar em local mais distante daonde eu estou receberá meu e-mail com as indicações de como efetuar a inscrição gratuita.

A inscrição deve ser efetuada com urgência, por isso, seja rápido pois amanhã mesmo, no final do dia, irei checar todos os comentários e encaminhar o e-mail ao ganhador, informando como realizar o cadastro para o evento. Fique de olho em sua caixa postal!

Lembre-se que você ganhará apenas o ingresso para o evento. Você deverá ter condições financeiras para se locomover até a Bienal de São Paulo e sobreviver por lá por uma semana.

Por fim, para ter mais informações sobre o Campus Party Brasil, clique aqui e veja o site oficial.

[UPDATED] - A seleção já foi realizada. Não publiquei os comentários recebidos por motivo de segurança, já que foram informados e-mail e localização. Por conta disso, terão que acreditar na minha palavra e espero que entendam.

O Andre Metzen, de Vitória (ES), foi quem levou o convite extra. Agora espero que ele consiga de fato efetuar sua inscrição.

Marcadores: , ,

2.1.08

"Meu nome não é Johnny" e o blog do João Estrella

"Meu nome não é Johnny" é o novo filme de Mauro Lima (produtor de "Lisbela e o Prisioneiro") e conta com Selton Mello e Cléo Pires no elenco. Visto o sucesso de "Tropa de Elite", sem dúvida esse será outro filme com grande volume de platéia. Estréia nesta próxima sexta-feira. Não é um daqueles filmes que concorrem ao Oscar (assim como não é "Tropa de Elite"), mas vale a pena conferir no cinema.

Segue aquela tendência dos filmes brasileiros de falar descontraidamente de um assunto sério. Vai também na mesma linha que "Tropa de Elite" ao abordar o problema das drogas no Rio de Janeiro, só que desta vez, o ponto de vista é de um traficante da classe alta do Rio. Como provavelmente você já ouviu falar por aí, o roteiro é baseado na história real de João Estrella, envolvido com o tráfico de cocaína na década de 90.

Aliás, uma das críticas razoáveis com relação ao filme é tratar o personagem principal como um menino ingênuo que acabou no mundo das drogas por conseqüência única do mundo externo, sem responsabilizá-lo por isso. A culpa fica nas mãos da família, dos amigos, da cultura da classe alta, etc. Afinal, João Estrella não devia ser assim tão ingênuo. Inconseqüente sim, mas não ingênuo.

Outro ponto interessante: para quem assistiu "Philadelphia" (1993), não deixe de reparar na referência que o diretor faz ao filme durante algumas cenas de "Meu nome não é Johnny".

Essa referência faz transparecer que o diretor preferia que o personagem principal tivesse morrido, seria um final mais romântico para o filme. Porém trata-se de uma história baseada em fatos reais, e neste caso, João Estrella ainda está vivo. É hoje produtor musical e por conta do filme, virou blogueiro.



Explico: para o lançamento do filme, entrou no ar um hotsite que traz o tradicional: cenas do filme + wallpaper + ringtones + etc. Mas além disso há também o Blog do João Estrella. Não é o blog do personagem do filme, mas do homem que deu origem ao personagem. No blog João fala do seu cotidiano e do filme. Comenta as pré-estréias feitas em faculdades e faz até uma crítica ao filme "Tropa de Elite". Achei interessante o uso do blog não-ficção ao lado do hotsite oficial. Lá vai mais uma aplicação do modelo "blog" como elemento da estratégia de marketing de lançamento do filme. Para conferir o blog, clique aqui.

Antes de assistir ao filme, vale a pena também ler a matéria que o jornal Estadão fez com o João Estrella e assistir abaixo o trailler do filme:

Marcadores:

24.12.07

TV Brasil e Radar Cultura

Neste mês entraram no ar duas iniciativas que pretendem usar conceitos de interatividade e colaboração como recurso fundamental para sua programação de conteúdo:

TV Brasil
A emissora pública entrou no ar no dia 02 de dezembro e surgiu a partir de uma união das redes TV Nacional, TV Educativa do Rio de Janeiro e Educativa do Maranhão. Por enquanto possui uma grade de programação tradicional, sem apelos interativos. Com excessão do programa Repórter Brasil que coleta participações dos telespectadores através do site da emissora.

Há um projeto anunciado, o repórter espontâneo, que promete distribuir cerca de 15 mil celulares com recurso de gravação de vídeo. O material coletado fará parte do conteúdo da programação. Esse projeto deve começar por volta de março de 2009.

No Rio de Janeiro é possível assistir a emissora pelo canal 2 ou UHF 32. Em São Paulo UHF 68 e também pela internet no www.tvbrasil.org.br.

Mais sobre:
- TV Brasil (Wikipédia)
- TV Digital e TV Brasil: é bom prestarmos atenção
- TV Brasil: uma emissora cada vez menos pública
- TV Brasil



Radar Cultura
Em busca de uma modernização da sua programação, a rádio Cultura de São Paulo iniciou dia 17 de Dezembro um projeto em que o conteúdo da programação é montado com a participação dos ouvintes.

O ambiente colaborativo do site www.radarcultura.com.br permite ao ouvinte votar nas músicas e temas mais interessantes para discussão. É essa votação que seleciona o conteúdo que irá ao ar no programa Radar Cultura diariamente às 20h. A proposta da emissora é que esse modelo não fique restrito a um único programa da grade, mas que seja ampliado para toda a programação no futuro.

A rádio é sintonizada em São Paulo na frequência 1200 AM e também é possível ouvir pela internet no site www.radarcultura.com.br.

Mais sobre:
- Primeiro relato sobre o Radar Cultura
- Radar Cultura e o Twitter
- Tom Zé no Radar Cultura
- Radar Cultura Estréia com Blogs (e Twitter)
- #Radar Cultura

Marcadores:

9.11.07

O poder do consumidor 2: Ipod Touch e CSS

Este post traz um novo aspecto para o tema já discutido no post de setembro "Consumidor ganha poder através dos blogs e redes sociais".

Agora no final de Outubro a Apple lançou um novo filme publicitário do seu Ipod Touch que pode ser visto em seu site institucional. Duas curiosidades seguem esse comercial:

1 - O filme publicitário não foi criado por uma agência de publicidade, mas por Nick Haley, um estudante de 18 anos da Inglaterra (dica enviada pelo Brian Barbutti). Nicky produziu o filme em casa e publicou no YouTube. O sucesso chamou a atenção da Apple que resolveu assumir o filme como parte da sua campanha para o Ipod Touch. Assim, a agência de publicidade oficial da Apple, a TBWA/Chiat/Day entrou em contato com o estudante e o contratou para que desenvolvesse uma nova versão para a Apple. Atualmente é possível ver o vídeo tanto no site oficial da Apple como no YouTube, as duas versôes possuem pequenas variações, mas são, definitivamente, a mesma peça publicitária.

2 - Interessante observar também que a trilha sonora escolhida pelo estudante inglês foi a música "Music is my hot, hot sex" da banda "Cansei de Ser Sexy" de São Paulo. Atualmente a banda é um grande sucesso nas rádios de Londres. Mas antes deste sucesso a banda que tocava em bares de São Paulo chamou a atenção da gravadora Trama por conta do grande volume de acessos obtidos pelas músicas publicadas na Internet. Assim como casos mais famosos, por exemplo a cantora Lilly Allen, a página no MySpace da banda Cansei de Ser Sexy foi um fator crucial para o sucesso da banda.

Assim como o comercial da Apple que foi escolhido devido ao grande sucesso de visitações no YouTube, a banda Cansei de Ser Sexy ganhou o mercado fonográfico por conta do sucesso que fez entre os internautas.

Marcadores: ,

11.10.07

Sobre a pirataria e um pouco de Radiohead e Tropa de Elite

Tropa de Elite, filme de José Padilha, já foi muito comentado nas últimas semanas. Um dos pontos fortes do filme é evidenciar como o consumo de drogas influência o tráfico de armas e a corrupção policial.

É uma tentativa de mostrar ao usuário casual de drogas como ele participa, quase que ativamente, para a guerrilha armada do Rio de Janeiro e o enorme volume de policiais corruptos. Osso duro de roer. Pega um, pega geral, quem sabe, também vai pegar você.

Claro, esse não é o único motivo, mas como seria se não houvesse consumo de drogas? Se não há demanda, não existe comércio.

De forma semelhante funciona o mercado da pirataria. E esse tema é tão complicado quanto o anterior. É preciso distinguir pirataria de distribuição de material autoral.

Aquele consumidor ingênuo, que compra cd pirata de músicas, filmes e jogos também pouco se atenta para sua participação em todo o processo de corrupção e ilegalidade que ocorre para que aquela banca de CDs piratas esteja ali na esquina. A cópia ilegal é apenas um dos danos envolvidos nesse simples ato. Talvez o menor!

Parece-me claro que a comercialização da cópia ilegal é de fato muito pior que a distribuição de material autoral.

Esse post é pequeno para discutir toda essa questão, mas especificadamente sobre a distribuição de material autoral, essa semana mais uma banda de música gerou polêmica ao levantar esse debate.

A banda Radiohead decidiu lançar seu novo álbum “In Rainbow” na internet com download mediante pagamento com valor “a ser definido” pelo consumidor (veja mais no post anterior).

Retomando Tropa de Elite, muito se falou sobre o vazamento de uma cópia do filme antes mesmo do lançamento. Falou-se tanto que gerou expectativa, muita mídia espontânea e sucesso de público no Festival do Rio. Há males que vêm para o bem? Ou estratégia de marketing viral?

Como costumo dizer, o problema não é a distribuição do material autoral, mas o modelo de negócios que ainda sustentamos nos dias de hoje; baseado num paradigma legal e fonográfico que não condiz mais com o modelo de paradigma da cultura digital que vivemos atualmente.

Compartilhar é um valor que ganhou importância dentro dessa cultura digital. A troca de informações é essencial e com isso, fica cada vez mais difícil de entender a razão de você não poder deixar à disposição dos seus amigos uma música que você gostou e recomendaria e em troca, receber destes amigos outras músicas. Por quê?


Fica aqui a recomendação de um livro, que por sinal, está disponível para download na internet. Trata-se de Cultura Livre, de Lawrence Lessig, professor de direito na Stanford Law School e criador do projeto Creative Commons. Clique aqui para acessar o site da Trama Universitário e baixar o livro.

Mais sobre:
- Webinsider - A luta em Tropa de Elite e a luta pela cultura livre
- Webinsider - Tropa de Elite: a hora da verdade
- Podcast da Justale

Marcadores:

10.10.07

Código QR: o case do Pet Shop Boys

Agora foi a vez do Pet Shop Boys entrar para a lista de cases de aplicação do código QR.

A dica chegou através de um post do blog Update or Die. O códgo QR é o novo formato que pretende substituir o código de barras e ampliar sua utilização, pois permite que qualquer pessoa decodifique a informação através do seu celuar. Um post anterior já tratou desse assunto.

A banda Pet Shop Boys utilizou imagens do código QR no clipe da música "Integral". São dezenas de códigos que aparecem durante o clipe. Todas as imagens decodificadas pelo autor do blog Colmeia são links para diferentes sites, em geral tratando da questão da privacidade no mundo contemporâneo.

Para ver o clipe, clique aqui para entrar no site da banda.

Marcadores: ,

Radiohead lança novo álbum na internet

Como você já deve saber, é hoje a data de lançamento do novo álbum "In Rainbowns" do Radiohead.

Agora pela manhã o site do novo álbum estava bem lento e perto do meio-dia já era inacessível. Ou seja, sintoma da grande visitação que o site terá hoje e nos próximos dias.

Todos querendo baixar o novo álbum e, conforme prometido pela banda, pagar o quanto bem entender por isso.

No site, a página de "cesta de compras" apresenta o campo de preço em branco. É você quem indica um valor, em libras. Ao clicar o ícone de interrogação, ao lado do campo de preço, aparece a mensagem "It's up to you".

Se desejar, pode efetuar a pré-compra do "diskbox" que custa $40 Libras e vem acompanhado de um segundo cd e dois discos de vinal, porém será lançado apenas em 3 de dezembro.

Com isso a banda chama atenção para a discussão sobre a necessidade de um novo modelo de negócios para o mercado fonográfico. De fato, não é a primeira banda a colocar seu álbum inteiro para download na internet, sem custo determinado. Mas sem dúvida é uma estratégia que ainda gera muita mídia espontânea, principalmente para bandas famosas como a Radiohead.

Diversos blogs sobre música tocaram no assunto, em especial, a Remixtures que traz uma boa análise sobre o caso, principalmente sob o campo da comunicação, como é o nosso caso. Fica aqui a dica, leia o blog!

ah! E se você estava a procura de uma opinião, a resposta é sim, pode baixar, o álbum é bom. Um tanto minimalista, um pouco diferente do som anterior, mas ainda é Radiohead.

ATUALIZADO: O IDG Now! informou que após os dois primeiros dias, o álbum foi baixado mais de 1,2 milhão de vezes.

Marcadores: ,

14.9.07

Palestra sobre publicidade no Second Life com flashes no Twitter

Na noite desta quinta, Jeff Paiva, da AgênciaClick, esteve na FAAP para uma palestra em que abordou o tema "Publicidade nas Redes Sociais e Second Life".

A palestra começou com uma breve demonstração do Second Life. Eu e Jeff Paiva navegávamos pelo 2ndL enquanto a imagem era projetada no telão. A platéia teve oportunidade de conhecer a ilha da AgênciaClick onde Jeff realiza suas reuniões com os clientes.

Após a demonstração ele fez uma exposição sobre redes sociais, em que comentou a evolução das comunidades de interesse e sua influência no cotidiano do consumidor. Também falou sobre os blogs, que hoje chegam a influenciar a decisão de compra.

Flashes da palestra foram transmitidas pelo Twitter em tempo real. Foi através desta rede social que o blogueiro Manoel Netto, de Londrina, autor do blog Tecnocracia teve oportunidade de enviar uma pergunta para o palestrante.

O Twitter também foi utilizado para transmitir flashes da palestra de Carlos Merigo do Brainstorm #9 (comentada no post anterior). Daquela vez, foi Fábio Seixas, do Rio de Janeiro e criador do site Camiseteria quem enviou sua pergunta através do Twitter.

Na segunda parte da palestra Jeff Paiva apresentou diversos cases da AgênciaClick em que o Second Life foi utilizado como mídia para divulgação dos produtos de seus clientes.

Ficou evidente na palestra que ainda temos um longo caminho a percorrer para a descoberta do formato adequado de publicidade digital, mas de certo, a AgênciaClick é uma das agências pioneiras nesse sentido.

Os alunos que assistiram a palestra ficaram muito interessados em obter mais informações sobre o assunto, por isso, deixo aqui o link para o blog do Jeff Paiva: http://www.jeffpaiva.com/blog

Veja também:
- Post do Jeff Paiva sobre a 30a Semana da Comunicação

Marcadores: , ,

12.9.07

Blogs dominaram o tema das palestras da manhã

Infelizmente é impossível fazer uma cobertura completa de todas as palestras desta 30a Semana da Comunicação devido às diversas palestras que ocorrem simultaneamente.

Hoje pela manhã participei de duas palestras, e nestes dois casos o assunto girou entorno dos blogs.

Carlos Merigo, da FisherAmérica e do blog Brainstorm #9 comentou um pouco sobre sua atividade, citando inclusive que seu blog, criado desde a época em que cursava a faculdade de publicidade, foi grande influenciador na sua entrada no mercado de trabalho.

Ele fez uma ótima explanação sobre a influência das comunidades colaborativas nas ações de comunicação. Também citou diferentes casos de marketing viral, ressaltando que não existe uma fórmula pronta para o viral, mas é essencial a existência de um conteúdo relevante para que ocorra a propagação espontânea.

Ao final da palestra, muitos alunos perguntaram sobre sua atividade com o blog Brainstorm #9 e a influência do blog no seu dia-a-dia.

Na sessão posterior aconteceu a mesa temática “Distúrbios Midiáticos”, que tratava de diferentes casos em que uma informação fictícia é explorada como verídica. Eu participei da mesa juntamente com os professores Ronaldo Entler e Fábio Lacerda.

Após a apresentação do tema da mesa pelo Prof. Entler, eu fiz uma rápida apresentação sobre o caso do Asteróide Pallas que os leitores deste blog puderam acompanhar em posts anteriores.

Na seqüência o Prof. Lacerda trouxe uma apresentação sobre o programa no rádio (de Orson Welles) da Guerra dos Mundos ocorrida em 1938.

Para concluir, o Prof. Entler trouxe dois exemplos de artistas que realizam interferências com o objetivo de discutir os valores e o processo de comunicação. Um deles é o Joan Fontcuberta que montou uma exposição utilizando o nome de Hans von Kubert e o Joey Skaggs que envia releases falsos para imprensa.

Após as breves apresentações foi aberta a sessão de perguntas que giraram entorno da influência dos blogs na repercussão das campanhas publicitárias, a importância da responsabilidade, da ética e do senso crítico para o profissional de comunicação e como lidar com o modelo dinâmico da internet.

Marcadores: , ,


 
Para receber esse blog por e-mail, envie uma mensagem info.ecode@messa.com.br e
escreva "incluir" no campo "assunto" da mensagem. Para cancelar, basta escrever a palavra "excluir".