19.11.09

Afinal, e essa tal de "mídia social"?


Hoje um grupo de alunos pediu que eu respondesse algumas perguntas para uma pesquisa sobre a influência das redes sociais na área da comunicação. Resolvi publicar aqui o questionário e minhas respostas, pois o blog e-Code discute esse assunto constantemente, mas poucas vezes é didático como um "FAQ". Então lá vai:

Você participa de quais redes sociais?
Atualmente estou ativamente no Twitter, Facebook, Orkut, Linkedin, Flickr, Youtube e Blip.fm. Outras redes mantenho perfil mas visito com pouca frequência como Sonico, Last.fm, Issuu, Slideshare, Jaiku, Identifi.ca, etc.


Por que faz uso dessas redes?
Para compreender esses novos modelos e processos de comunicação e antecipar tendências no campo da publicidade e do marketing.


Você acredita que, no futuro, as mídias sociais ocuparão o espaço da televisão?
Não. A televisão é um veículo audiovisual de fácil recepção e que trabalha a partir de um modelo de comunicação passivo. É adequado para entreter a sociedade da metrópole e dificilmente o ambiente digital substituirá esse modelo.

O que vai acontecer é que o modelo televisivo não será transmitido mais por ondas analógicas, mas através da rede digital (a mesma da internet). Porém apesar de ser transmitida pela rede digital, a linguagem “televisiva” continuará sendo a mesma. Trata-se apenas de uma evolução tecnológica.


Por que as mídias sociais são tão importantes em um case como, por exemplo, “The Best Job in The World”?
Este é um caso em que as redes sociais foram aproveitadas para uma ação de comunicação publicitária. Por isso tais redes são consideradas como uma mídia. Por se tratar de um ambiente novo. Todas as ações publicitárias que ali circulam atualmente chamam mais atenção do que a mídia tradicional, e essa já é uma das razões para o sucesso da campanha.

Mas a razão principal é que as redes sociais atraem um perfil de público que caso seja o mesmo de determinada marca/produto, sem dúvida terá um índice de retorno e retenção maior do que uma mídia de massa.


Como as mídias sociais influenciarão no futuro as mídias tradicionais?
Não só as redes sociais, mas a própria cultura da internet - que propicia um usuário mais ativo e participativo - tem estimulado a produção de conteúdos interativos também em meios tradicionais como o rádio e a televisão. Consequência desta hipótese é o sucesso dos diversos programas de reality-show.

No campo do marketing e da publicidade, o uso das redes sociais em ações de comunicação será capaz de estimular a conversação sobre marcas e produtos nesses ambientes digitais. Aquela dica de um novo produto que antes era transmitida de um amigo pra outro, hoje começa a acontecer também através das redes sociais, ampliando e agilizando sua repercussão.


Como você explicaria o constante crescimento das classes C e D nas redes sociais?
Considero algo inevitável. O carro não era um veículo de locomoção acessível para todas as classes sociais quando ele surgiu. O avião, hoje tem uma penetração na classe C muito superior do que há 30 anos atrás.

No campo da comunicação não é diferente. Toda tecnologia de sucesso ganha adesão da sociedade conforme seu custo vai diminuindo.

Quando surgiu, a televisão era um aparelho restrito aos mais afortunados. Em poucas décadas a tecnologia barateou e hoje a televisão é um aparelho de consumo de todas as classes sociais.

Muito provavelmente algo semelhante deve acontecer com o meio digital nas próximas décadas.


Qual a sua opinião a respeito de marcas que fazem parcerias com blogueiros para divulgar conteúdo e informação como no caso em entre o apresentador Marcelo Tas e a Telefônica?
O caso do Marcelo Tas ganhou ainda mais repercussão por causa da imagem que ele construiu ao longo do tempo de alguém idôneo.

É preciso fazer várias considerações ao se analisar o envolvimento de uma pessoa com determinada marca.

É muito semelhante ao que acontece na televisão. Hoje vemos atores e atrizes como garotos propagandas de marcas e produtos, mesmo que eventualmente, eles não utilizem o produto no seu dia-a-dia. Ainda assim eles reafirmam os benefícios daquele produto e convidam o telespectador a experimentá-lo.

Por outro lado, ver um jornalista desempenhar o mesmo papel parece um tanto contraditório, por conta da isenção que sua profissão exige. Mas se bem adequado, acredito que é possível aproveitar a seriedade do jornalista para vender um produto, mesmo que seja o próprio jornal em que ele trabalha.

Pois bem, nas redes sociais as regras são semelhantes, com a diferença que não é preciso ser uma celebridade para participar das ações publicitárias em redes sociais.

Já escrevi um post em que comento inclusive, que atualmente todos nós, consumidores, somos potenciais “mídias” para as marcas que consumimos (veja aqui).


Qual a sua opinião sobre a influência das redes sociais na vida das pessoas? Ela é negativa ou positiva?
Acredito que toda nova tecnologia traz consigo seus pontos positivos e negativos. Vivemos uma era do excesso de informação. Nesse ambiente é impossível não sofrer também com o excesso de comunicação, excesso de trabalho e esgotamento psicológico.

Por outro lado, toda tecnologia da comunicação surge para ampliar a interação entre as pessoas de uma sociedade. Em especial o ambiente das redes sociais isso é visível e inegável. Hoje já existem milhares de pessoas trabalhando colaborativamente com outros profissionais espalhados ao redor do mundo.

Muitos estão se relacionando com pessoas que nunca viriam a conhecer sem o advento da internet.

Enfim, acredito que assim como o telefone e a televisão foram capazes de moldar uma sociedade; a internet e as redes sociais serão capazes de reestruturar essa sociedade.

Marcadores: ,

1 Comments:

  • tenho uma certa implicância com essa expressão, afinal de contas, existe alguma mídia que não seja social? #prontofalei

    By Blogger andrea mello, at 1:46 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home







 
Para receber esse blog por e-mail, envie uma mensagem info.ecode@messa.com.br e
escreva "incluir" no campo "assunto" da mensagem. Para cancelar, basta escrever a palavra "excluir".