artigos - versão html

1.5.06

Freedows busca semelhança com Windows

A proposta do software aberto surgiu junto com o sistema operacional Linux e até hoje não conseguiu atrair a atenção do consumidor comum por diferentes razões, uma delas é a falta de praticidade do programa. O processo de instalação do próprio sistema operacional, bem como dos aplicativos que o usuário costuma utilizar no seu dia-a-dia passa por etapas que exigem um conhecimento técnico superior àquele do usuário comum, restringindo o uso por aqueles que dominam melhor a informática. Além disso, até então os aplicativos existentes para utilização sob o sistema operacional Linux eram poucos e não atendiam a todas as necessidades do usuário.

Buscando atender o usuário comum, a Freedows Consortium (jointventure entre as empresas Free Software e Cobra Tecnologia, esta última pertencente ao Banco do Brasil) lançou no mercado o sistema operacional Freedows (www.freedows.com). Trata-se de um sistema operacional baseado no Linux, porém sua proposta é possuir um alto nível de praticidade, tornando o seu processo de instalação, bem como a utilização no dia-a-dia mais prática, já que fica evidente a busca por uma semelhança com o Windows da Microsoft, inclusive no visual da interface. A versão Freedows Professional acompanha ainda um software que permite a execução de aplicativos desenvolvidos para o sistema Windows.

A proposta do software é facilitar a inclusão digital e o processo de transição do usuário do Windows para o novo sistema operacional.Recentemente a Freedows Consortium lançou uma versão chamada Freedows PC Cidadão, criada exclusivamente para o projeto “PC Conectado” do governo Federal. O sistema operacional acompanha diversos programas para o uso no escritório.

O processo de instalação do sistema operacional é razoavelmente simples, porém, em algumas etapas, exige que o usuário tenha bom conhecimento sobre a configuração do seu equipamento e por isso, talvez ainda seja melhor deixar a instalação do sistema operacional por conta de um especialista. A versão Freedows Professional parece a mais recomendada ao usuário que está migrando do Windows, pois esta versão é acompanhada de um software chamado CrossOver que permite executar aplicativos do Windows e, dessa forma o usuário não precisa abandonar todos os aplicativos que estava habituado a utilizar. O software não garante a compatibilidade com todo e qualquer aplicativo Windows, mas os principais aplicativos como o Microsoft Office, Adobe Photoshop e CorelDraw aparecem na lista dos aplicativos compatíveis. Outros aplicativos menores, apesar de não aparecerem na lista, costumam rodar no Freedows sem problema algum.

A versão Professional, por possuir esse aplicativo de compatibilidade com programas do Windows exige uma configuração mínima de 192 Mb de memória, isso pode ser um ponto negativo já que até há pouco tempo a maioria dos micros eram comercializados com 64Mb ou no máximo 128Mb de memória. Após o lançamento do Windows XP, que também exige bastante memória, os micros passaram a sair das lojas já com 256 Mb ou mais, assim, é importante olhar a quantidade de memória da sua máquina antes de realizar a troca de sistema operacional. Além da versão Professional a empresa distribui outras 4 diferentes versões adaptadas a diferentes necessidades. A versão mais simples, chamada Freedows Lite não possui alguns aplicativos como o CrossOver, mas por outro lado é distribuída gratuitamente no site www.freedows.com.

Após instalado, o Freedows cumpre com o prometido, seu ambiente operacional é extremamente semelhante ao Windows XP, facilitando muito a utilização no dia-a-dia pelo usuário comum. Apesar de permitir a instalação do Microsoft Office, na maioria dos casos isso é desnecessário já que o pacote de escritório chamado FreeOffice atende às principais necessidades e ainda é compatível com arquivos criados no Word, Excel, Access ou PowerPoint. O Freedows também é acompanhado do software Gimp, ferramenta para tratamento de imagens similar ao Photoshop.

O programa de navegação na internet e o leitor de e-mail também oferecem ótima qualidade, atendendo com eficiência os usuários acostumados ao Internet Explorer e Outlook da Microsoft. O leitor de e-mail do Freedows possui inclusive uma agenda muito similar à agenda do Outlook, tornando-o mais completo do que a versão simplificada do Outlook conhecida como Outlook Express.

O Freedows é comercializado através de um contrato de subscrição (exceto a versão Lite, que é gratuita); na versão Professional, o preço é de R$150,00. Esse valor cobre o contrato de um ano de suporte ao produto. Durante esse período o usuário pode tirar sua dúvidas através do telefone ou e-mail, com garantia de resposta do e-mail em até 2 dias.


-------------------------------
Éric Eroi Messa é Professor da Faculdade de Comunicação Social e do MBA Profissional - Master em Tecnologia Educacional na FAAP-SP. É sócio-diretor da High Performance - Marketing Interativo. E-mail: eric.eroi@messa.com.br


-------------------------------
“Freedows busca semelhança com Windows”, Jornal Diário do Comércio, São Paulo: Diário do Comércio - ACSP, Cad. Informática, pág.: 3, 22/03/2005.