artigos - versão html

2.5.06

Começa a era do software social

A próxima moda da sociedade digital serão os softwares sociais. São aplicativos que promovem redes de relacionamentos para fins sociais, profissionais, amorosos, etc. Alguns diriam que a moda já pegou, afinal, o portal de social networking da Google conhecido como Orkut (www.orkut.com) vem fazendo tanto sucesso no Brasil desde o seu lançamento que em menos de seis meses o número de brasileiros inscritos na comunidade superou até mesmo que o número de americanos, local de origem do software. Outros já diriam que o tema não é novidade, pois o uso da internet para estabelecer conexões e promover redes de relacionamentos existe desde o surgimento da própria internet, através de serviços como newsgroups, listas de discussão, fóruns, comunicadores instantâneos, etc.

A grande novidade é que portais de social networking como o Orkut conseguem integrar diferentes serviços, possuem uma interface intuitiva e provavelmente pela primeira vez, evidenciam o caráter pessoal onde é possível visualizar e realizar diferentes pesquisas dentro da rede de relacionamentos de cada usuário. Esse novo modelo de interação provavelmente servirão de referência para o surgimento de diversos softwares sociais nos próximos anos que terão aplicações específicas dentro de empresas, organizações e instituições.

A propósito, é esse caráter pessoal que está ajudando na popularização do Orkut no Brasil. Ao se cadastrar, o novo usuário deve criar uma página onde será publicado o seu perfil e sua rede de contatos. Geralmente a lista de contatos já conta com a presença de pelo menos uma pessoa, justamente aquela que o convidou para fazer parte do Orkut (só é possível inscrever-se a partir do convite de um usuário do serviço). O novo usuário poderá então acessar a página contendo o perfil desta pessoa que o convidou e a partir de lá conferir a relação de amigos desta pessoa. Provavelmente ali irá encontrar alguns amigos em comum, os quais ele poderá convidá-los a figurar na sua própria lista de contatos. Muitas vezes descobre-se por acaso que duas pessoas possuem amigos em comum, porém nunca haviam notado isso antes do Orkut. Além disso, o usuário tem acesso também há um serviço de pesquisa que permite realizar buscas pelo nome da pessoa e assim, pode encontrar com facilidade alguém em particular.

6 Graus de Separação - Não é por acaso que se vê por aí muitos comentários de que fulano encontrou amigos que não tinha contato há muitos anos e em toda mesa de bar ouve-se novamente a velha história de que o mundo é realmente muito pequeno, trazendo á tona novamente a teoria dos seis graus de separação. Essa teoria foi elaborada por Stanley Milgram em 1967 através de uma experiência realizada nos Estados Unidos. Milgram enviou diversas cartas a moradores do Nebraska e estes deveriam fazer a carta chegar até um determinado morador do estado de Massachusetts, porém deveriam enviá-la somente através de alguém conhecido. Como resultado da experiência, Milgram descobriu que as cartas que chegaram ao destinatário passaram por apenas 5,5 intermediários. Porém na primeira experiência de Milgram apenas 5% das cartas enviadas chegaram realmente ao seu destinatário. Assim, é possível que exista apenas seis pessoas entre você e o presidente do Brasil ou a Madonna, porém dificilmente poderemos pensar no mesmo número para um monge do Tibet.

O livro eletrônico Redes (http://www.wwf.org.br/publicacoes/download/livro_ea_redes/index.htm), escrito por Cássio Martinho para a organização não-governamental WWF-Brasil traz outros teorias que explicam o funcionamento das redes. Na matemática a Teoria dos Grafos, que estuda as redes e suas conexões, mostra que quanto maior o número de conexões entre os pontos de uma rede, menor será o número de intermediações entre um ponto e outro, por mais distantes que estejam e vice-versa. Em 1998, Albert-László Barabási, da Universidade de Notre Dame nos Estados Unidos, ao estudar o número de links existentes entre sites da internet, mostrou que a grande maiorias dos sites estão conectados a um número pequeno de outros sites e somente alguns poucos possuem um enorme número de links que ele chamou de hubs. A internet é, portanto, formada por milhares de pequenas redes, e estas interligadas por alguns poucos hubs.

Em 2003, Duncan J. Watts da Universidade de Columbia nos Estados Unidos realizou experiência similar a de Stanley Milgram utilizando o e-mail como forma de comunicação e descobriu que também na internet eram necessárias em media entre cindo e sete pessoas intermediando dois pontos distintos. Sua pesquisa ainda está em andamento e qualquer um pode participar inscrevendo-se no site (http://smallworld.columbia.edu).

Redes de relacionamento no Orkut - Todas essas teorias vêem servindo de referência para estudiosos das redes sociais e aparentemente tais teorias também se aplicam no Orkut. Cada usuário do Orkut possui sua pequena rede de relacionamentos. São milhares de pequenas redes, interligadas por algumas poucas pessoas que funcionam como hubs que costumam ser mais ativas e comunicativas e por isso possuem uma enorme rede de amigos. Se você acostumar-se a usar o Orkut somente entre sua rede de amigos com o passar do tempo começará a achar que em todo o lugar há sempre as mesmas pessoas. De fato, você está sempre rodeado pelas pessoas que compartilham os mesmos interesses que você. Para ampliar sua rede é preciso criar novos elos, novas conexões. Melhor será se encontrar pelo caminho a um hub, pois nesse caso essa pessoa poderá ser fonte de outras dezenas de pessoas com interesses em comum. Mas como fazer para conhecer novas pessoas? No mundo físico, freqüentar um curso ou participar de um congresso podem ser boas fontes de novos relacionamentos. No Orkut existem as comunidades temáticas. São espaços para conversas sobre temas eleitos pelos próprios usuários. Pode-se encontrar comunidades sobre milhares de temas diferentes, desde a comunidade daqueles que freqüentaram a mesma escola até aqueles que se propõem a trocar mensagens sobre Freud ou Nietzsche.

No mundo físico o elo de confiança estabelecido num novo relacionamento pode ser maior ou menor conforme a referência obtida da pessoa em particular. Costuma-se confiar mais em um psicólogo indicado por algum amigo próximo do que em outro obtido através dos classificados. No Orkut há princípios ainda mais explícitos: ao visitar o perfil de determinada pessoa é possível conferir as mensagens de testemunho deixadas pelos amigos desta pessoa. Os mesmos amigos também podem indicar diferentes níveis de confiabilidade para essa pessoa. Todas essas informações, além do próprio perfil publicado pela pessoa irão servir de referência para um novo contato.

Softwares como o Orkut podem, ao longo do tempo, ampliar a densidade de nossas redes de relacionamento, funcionando como um local de armazenamento de contatos que podem ser requisitados para eventuais necessidades, pois ao mesmo tempo em que é impossível manter um relacionamento freqüente com um número muito grande de pessoas, redes de relacionamentos não-ativas são redes inexistentes, pois não irão gerar benefício algum. Neste caso seria uma evolução da lista pessoal de telefones, porém, atualizada constantemente por cada um dos contatos e com um número bem maior de informações além do número de telefone e endereço.

Nos dias atuais, as pessoas quando atingem a fase adulta, provavelmente já não tem contato com a maioria dos seus amigos de infância. Alguns poucos amigos que seguiram a mesma área de atuação profissional podem eventualmente acabar se encontrando novamente, porém outros podem ter seguido caminhos profissionais diferentes mas eventualmente poderiam ser excelentes contatos para um novo emprego, por exemplo. Porém o elo foi perdido com o passar dos anos e essa fonte nunca seria consultada. Daqui pra frente, com o uso de ambientes como o Orkut essas pessoas poderiam estar interligadas através de suas respectivas lista de amigos, e mesmo que durante anos não houvesse mais contato entre os dois, eventualmente ambos poderiam acessar o perfil do outro para acompanhar sua evolução, sua formação profissional, etc; e em determinado momento o elo de conexão poderia ser refeito, quando surgisse a necessidade. Além disso, essa mesma pessoa poderia vir a servir como ponto de conexão com diversas outras pessoas.

Como já foi dito, devido ao grande número de ferramentas estimuladoras, o Orkut também serve como fonte de novos relacionamentos. O que ainda não foi verificado é a qualidade destes relacionamentos, pois o excesso de contatos pode gerar relacionamentos extremamente superficiais e, portanto, praticamente inexistentes.

Uma rede de relacionamentos densa, aliada a um perfil público é um novo modelo que teremos que aprender a utilizar e conviver com ele. Afinal, o Orkut só enfatiza algo que já vem acontecendo na internet, cada vez mais qualquer pessoa tem acesso a um número grande de informações sobre você, informações que em alguns casos você poderia preferir esconder. Como um profissional de um cargo público ou um ator pode tirar benefícios de um ambiente como o Orkut sem sofrer com o excesso de solicitações de contato que provavelmente irão ocorrer? E um psicólogo que tem seu perfil acessado por um de seus pacientes e este descobre amigos em comum? Como isso pode influenciar no relacionamento entre o psicólogo e seu paciente?

Pelo sim ou pelo não eu estou lá. Se quiser é só procurar. Estou mantendo minha rede e esperando pra ver no que vai dar.




-------------------------------
Éric Eroi Messa é Professor da Faculdade de Comunicação - Publicidade e Propaganda - FACOM/FAAP e do MBA Profissional - Master em Tecnologia Educacional - CECUR/FAAP. É sócio-diretor da High Performance - Marketing Interativo. E-mail: eric.eroi@messa.com.br


-------------------------------
“Começa a era do software social”, Jornal Diário do Comércio, São Paulo: Diário do Comércio - ACSP, Cad. Informática, pág.: 6, 13/07/2004.